Se quiser evitar danos, existem duas estratégias para os prevenir. Uma delas é a Manutenção Preventiva. A outra é a Manutenção Preditiva. Contudo, para além de ambas terem uma abordagem proativa, existem diferenças fundamentais entre elas. Continue a ler e fique sabendo quais são essas diferenças.

Antes de mais nada, o que é a Manutenção Preventiva?

As medidas de manutenção preventiva são planejadas e executadas nos equipamentos para garantir que não aconteçam falhas e para mitigar as consequências de danos. Estas tarefas de rotina são concluídas independentemente da condição operacional atual, ou seja, se está funcionando bem ou não.

 
Geralmente, as medidas de manutenção preventiva são determinadas pelo tempo (por exemplo, a cada 6 meses), utilização (por exemplo, a cada 500 utilizações) ou marcos (por exemplo, a cada 3.000 quilômetros), com parâmetros que se baseiam em estatísticas recolhidas sobre a vida útil esperada ou média do equipamento. Considerando que a manutenção preventiva é baseada no tempo ou na utilização, é possível planejá-la com antecedência. Siga o nosso guia passo a passo para desenvolver um plano de manutenção preventiva.

⚙️ Se você procura uma solução rápida, pode também baixar o nosso template em Excel do plano de manutenção preventiva .

 

Vantagens e desvantagens da manutenção preventiva

 

Vantagens e desvantagens da manutenção preventiva

Este tipo de manutenção tem muitas vantagens em comparação à manutenção corretiva, que só é feita após serem reportadas falhas ou danos no equipamento. A manutenção preventiva diminui o tempo de parada, aumenta a confiabilidade e melhora a segurança. Segundo o Departamento de Energia dos EUA, conseguem-se cerca de 12 a 18% de economia nos custos quando comparada com a manutenção corretiva.

 

O único problema com a manutenção preventiva é que os relatórios não se baseiam no estado real do equipamento. Isto pode levar a manutenções desnecessárias, o que leva a uma perda de tempo e dinheiro.

  • Até 50% dos custos de manutenção são um “desperdício”, de acordo com a IBM
  • Cerca de 30% da manutenção preventiva é feita com muita frequência
  • Apenas 18% dos danos relacionados com a idade seguem um padrão

 

O que é a Manutenção Preditiva?

Ao contrário da manutenção preventiva, a manutenção preditiva se baseia na condição operacional atual de um ativo e não em estatísticas e cronogramas previamente definidos. O mesmo relatório do Departamento de Energia dos Estados Unidos sugere que a manutenção preditiva permite uma poupança em torno dos 25-30% em comparação com a manutenção corretiva.

 

A ideia é utilizar o monitoramento da condição para prever a ocorrência de uma falha antes mesmo dela acontecer, o que significa:

  menos paradas não planejadas;

  menos manutenção desnecessária;

menos custos em material/inventário MRO;

  aumento da vida útil dos ativos;

  monitoramento exaustivo dos ativos, o que significa um tempo médio de reparação mais curto e também a capacidade de verificar a eficácia dos trabalhos de manutenção.

 

Tipos de Manutenção Preditiva

A manutenção preditiva consiste em duas etapas. A primeira é o monitoramento da condição, que inclui diferentes tipos de técnicas de manutenção preditiva, incluindo a análise de vibrações e óleo para avaliar o estado atual do equipamento. Muito frequentemente, é possível detectar sinais precoces de danos antes de os operadores as notarem – até 60 a 90 dias de antecedência, de acordo com a IBM.

 

Assim que forem detectadas condições indesejáveis, como desgaste ou desalinhamento, é programada uma reparação antes de ocorrer um dano real. Assim, o monitoramento do estado dos ativos pode continuar sendo feito para garantir que a manutenção foi eficaz.

 

💡 Tipos de Manutenção Preditiva (técnicas de monitoramento da condição)

  • análise da vibração
  • análise acústica
  • análise por infravermelhos
  • análise de circuitos do motor
  • termografia
  • monitoramento ultrassônico
  • radiografia
  • laser interferometria
  • medições elétricas e eletromagnéticas

 

Embora o monitoramento da condição e a manutenção preditiva sejam por vezes utilizadas de forma indistinta, estas ferramentas por si só não equivalem a uma “manutenção preditiva”. A manutenção preditiva implica uma análise mais aprofundada dos dados. Os algoritmos de manutenção preditiva modelam dados de monitoramento da condição para prever quando ocorrerá uma falha, e é isso que permite tomar as medidas adequadas.

 

O que acontece se você não tiver dados de manutenção?

Se você não tiver dados de manutenção (seja porque os seus ativos são novos ou muito confiáveis), será mais difícil implementar qualquer tipo de manutenção preditiva. Nesse caso, você terá que gerar dados adicionais:

  • Pesquisar dados de ativos semelhantes.

 
 

Desvantagens da manutenção preditiva X manutenção preventiva

A implementação de uma estratégia de manutenção preditiva é normalmente mais cara do que uma estratégia preventiva, pois é necessário investir em ferramentas de manutenção preditiva, software compatível e formar pessoal para a sua utilização e para a interpretação dos dados recolhidos.

Então qual estratégia você deve utilizar: manutenção preventiva ou preditiva?

A melhor estratégia é ter um programa de manutenção que incorpore estes dois tipos de manutenção, de acordo com cada cenário. Lembre-se que é necessário considerar a manutenção corretiva ao adotar estas estratégias (ainda assim, menos).

Faça uma análise caso a caso e escolha a estratégia de manutenção adequada para cada ativo.

 

Manutenção Preventiva Manutenção Preditiva

Pode iniciar a manutenção preventiva em qualquer momento

Primeiro, é necessário recolher dados

É baseada no tempo e no uso, em ciclos

Identifica potenciais falhas

Planejada com antecedência

Planejada “à medida que avança”

Custos baixos/médios, requer software de manutenção e checklists de manutenção preventiva

Custos médios/altos, requer software de monitoramento da condição, sensores e ferramentas, além de formação

Normalmente requer paradas planejadas para inspeções e verificações de rotina

Pode ser realizada enquanto as máquinas estão em funcionamento

As empresas precisam preparar peças extras e organizar inventário

Compre as peças que precisa e não substitua as peças que ainda funcionam

Algum trabalho pode ser feito em ativos que não precisam dele, apenas por “prevenção”

Evita tanto o “usar até estragar”, como a manutenção desnecessária

↪️ Adequada para ativos difíceis de controlar, e cujo custo de dano é elevado ↪️ Adequada para ativos fáceis de controlar e cujos danos são previsíveis

 

↪️ Se o custo da análise for muito elevado, você poderá utilizar técnicas de manutenção preventiva ou de monitoramento da condição, sem a análise preditiva extra.

 

Ao longo deste artigo, vimos que tanto a manutenção preventiva como a preditiva são proativas, planejadas e associadas a uma maior disponibilidade e confiabilidade. Outra coisa que elas tem em comum? É melhor planejá-las utilizando um software.

 
As Plataformas Inteligentes de Gestão de Manutenção, como a Infraspeak, existem expecificamente para o ajudar a definir, planejar, executar e monitorar a sua estratégia de manutenção. Marque uma reunião e veja por você mesmo!