Após um ano de enormes desafios e adaptação a um “novo normal”, a nossa equipe se reuniu novamente para prever as maiores tendências e desafios para o Facility Management em 2023.

 
Será que vamos voltar à normalidade depois da COVID-19? Ou os Facility managers devem, finalmente, investir em soluções a longo prazo, em vez de “remediar”?

 

O upskilling é a nova contratação

Não vivíamos uma crise de escassez de mão de obra como a atual desde a Segunda Guerra Mundial. Foi, de certa maneira, a tempestade perfeita — um rápido envelhecimento da população ocidental, a COVID-19 que popularizou o trabalho remoto e a aposentadoria antecipada, e as tendências emergentes, como o quiet quitting, colocaram o mercado de trabalho em uma situação complicada.

 
De acordo com um relatório da GlobalData, a escassez de mão de obra está causando às empresas um grande impacto financeiro com a necessidade de aumentar salários e remunerações, assim como rompimento com redes de fornecedores. Mais do que nunca, mais empresas estão preocupadas com o assunto e mencionam em pesquisas e reuniões de administração.

 
Se você não quiser pagar muito mesmo antes de saber se um novo colaborador é adequado, a resposta é simples: faça upskill ou reskill com suas equipes atuais. Pense um pouco — em uma época em que os colaboradores querem se sentir valorizados e são cada vez mais exigentes, haverá melhor maneira do que treinar a sua equipe atual para acrescentar valor e suprimir uma necessidade?

 
Na dúvida, olhe para dentro, para aqueles que já conhece e confia. Habilite-os, fortaleça as suas carreiras e aumente o bem-estar e os níveis de produtividade dentro do seu negócio.

 

A gestão inteligente da rede de fornecedores vai ser fundamental

A gestão da oferta se torna cada vez mais importante a cada dia que passa. A pandemia e a guerra na Ucrânia levaram a um aumento dramático dos preços de materiais e fornecimento. A manutenção acabou por se tornar mais cara, especialmente se considerarmos também a falta de mão de obra e a inflação.

 
Se junte aos fornecedores, veja-os como parceiros e desbloqueie todo o potencial de colaboração na nova era das relações entre empresas. A gestão do abastecimento e as cadeias de abastecimento já não são um jogo sem valor — ambas as partes ganham ou perdem em conjunto se não se concentrarem na colaboração, inovação e transparência.

 
Pode ser um clichê trazer de volta o lema “faça amor, não faça guerra” popularizado nos anos 70, mas algum tipo de iteração evoluída da frase deve se tornar um elemento básico das suas negociações com outras empresas.

 

Flexibilidade, diversidade e inclusão

Você se lembra quando absolutamente todas as pessoas costumavam dizer que os consumidores do futuro iam exigir empresas e instalações mais diversificadas e inclusivas? Notícia de última hora: esses consumidores do futuro cresceram e são uma parte importante do mercado neste momento.

 
Os Facility managers precisam estar conscientes de elementos como a linguagem inclusiva nos espaços, acolher a diversidade de crenças e a orientação sexual e até mesmo conceber e gerenciar banheiros neutros do ponto de vista do gênero.

 
Parece rebuscado pensar que tudo isto será exigido em 2023? Se adapte mais rapidamente e ganhe uma vantagem sobre a concorrência ou evite uma transição turbulenta para a conformidade quando muitos destes tópicos se tornarem a norma em um futuro próximo.

 

Trabalho híbrido e utilização do espaço

Podemos dizer que já não somos os mesmos depois da pandemia de COVID-19. Os dias de trabalho provavelmente nunca voltarão ao que eram e todos os sinais apontam para o estabelecimento do trabalho híbrido. Os colaboradores vão trabalhar presencialmente algumas vezes por semana, e remotamente durante o resto do tempo. Como as pessoas deixam de vir trabalhar todos os dias, as empresas vão precisar de menos espaço de escritório e podem adotar uma política de “hot-desk”.

 
Na prática, os trabalhadores não são os únicos que podem se beneficiar com estas mudanças. Um relatório recente da Deloitte salienta que a redução da pegada imobiliária tem vários benefícios, incluindo a redução dos custos de viagem, do consumo de energia e da pegada de carbono. No entanto, a otimização destes espaços de trabalho limitados é um desafio para os Facility managers. Só há uma forma de contornar este problema: controlar a forma como o espaço é utilizado.

 
Isto nos leva a uma nova tendência: consciência da localização e tecnologia de sensores. Os sensores, que devem ser imperceptíveis, podem ser utilizados para monitorar a ocupação, temperatura e umidade do ambiente, etc. Estes dados permitem aos Facility managers se ajustarem à utilização real do espaço, otimizar o espaço e proporcionar conforto em todos os momentos.

 

Serviços digitais no local de trabalho

Os dados dos sensores podem ser recolhidos diretamente no sistema de gestão de edifícios ou no software de Facility management. Mas, não são as únicas tendências digitais que os Facility managers vão ter que enfrentar. A experiência do usuário é a maior tendência da última década, e o FM e Manutenção centrados no ser humano vão crescer ainda mais com a indústria 5.0. A questão é, como você pode proporcionar uma boa experiência em locais de trabalho híbridos?

 
Primeiro, recomendamos a integração de software de Facility management com outras ferramentas ou aplicações que a empresa utiliza regularmente. Por exemplo, integrar o seu software de FM com apps para reservar salas de conferências ou reuniões, utilizar ferramentas de comunicação para receber feedbacks, e assim por diante. Você também deve simplificar os pedidos de assistência (por exemplo, relatórios sobre impressoras, máquinas de café estragadas e outro equipamento comum).

 

Sustentabilidade e eficiência dos edifícios

Outro tema quente para 2023 é a sustentabilidade. A pandemia de COVID-19 evidenciou a quantidade de poluição gerada por outras atividades do dia a dia. Isto levou várias organizações, incluindo a OCDE, a apelar a uma “recuperação pós-COVID sustentável”. Mas, para os Facility Managers, a sustentabilidade esconde vários desafios: operações sem papel, eficiência dos edifícios e melhor gestão de resíduos.

 
A boa notícia é que os sensores também ajudam nesta missão. Os dados dos sensores podem ser utilizados para otimizar as operações e poupar custos — por exemplo, é possível detectar quando e onde se desperdiça mais energia. Mas, você também pode utilizar sensores de movimento para ligar e desligar luzes, que é uma das formas mais simples de poupar energia e eletricidade.

 
Mas, claro, a poupança de custos com base na otimização e manutenção adequada só vai até certo ponto. Se os seus relatórios mostram que não há mais nada onde se possa cortar sem comprometer o conforto, é o momento de avaliar o consumo de energia do edifício. Você pode usar esses dados e relatórios para justificar a remodelação do isolamento de forma a melhorar o envelope térmico do edifício.

 

Manutenção proativa

Os benefícios da manutenção proativa (seja preventiva ou preditiva) são claros. Não há outra forma de resolver os problemas antes que os clientes os percebam! Mas é mais fácil dizer do que fazer, certo? Por incrível que pareça, a manutenção proativa pode finalmente ter lugar como um subproduto de todas as tendências que vimos até agora. Se os Facility managers usarem as tecnologias mais recentes para recolher dados, podem trabalhar com algum tipo de previsibilidade.

 
Assim que tiver essa previsibilidade, o seu plano de manutenção pode se tornar mais proativo e ainda mais incisivo. Há menos sobre-manutenção e menos reparações. Assim como falamos recentemente com Cláudio Celino, um engenheiro especializado em manutenção de edifícios, é necessário utilizar dados e software para “finalmente estabilizar a quantidade de manutenção preventiva” e, ao mesmo tempo, “reduzir o número de reparações”.

 
Contudo, estas não são as únicas vantagens. As empresas ainda estão se recuperando da crise provocada pela COVID-19. E, como todos sabemos, em tempos de crise, o Facility Management pode ser um dos primeiros departamentos a sofrer um corte no orçamento. Isto significa que é mais importante do que nunca ter previsibilidade e descobrir que tarefas de manutenção podem ser adiadas até que o orçamento permita.

 
Independentemente do lado para onde você vire, os dados são a chave. É o que permite aos gestores se ajustarem ao trabalho híbrido e otimizarem os recursos. As mudanças operacionais podem ter começado por necessidade durante a pandemia de COVID-19, mas parece que a maioria delas está aqui para ficar. Portanto, um último conselho: se certifique de que está preparado para 2023 com a tecnologia certa!

 
⚙️ Saiba como podemos te ajudar a enfrentar os desafios de FM e Manutenção em 2023 com uma Plataforma Inteligente de Gestão e Manutenção integrável, integrada e adaptada às necessidades do seu negócio. Fale conosco!

 
Ebook - o futuro da Gestão de Facilities