Seja sincero: quantas vezes disse “quando isso acabar” ou “quando isso passar” nos últimos dias? Uma das coisas que mais estamos a fazer durante a quarentena são planos. O que vai acontecer quando for levantado o estado de emergência? Como as empresas vão funcionar quando acabar a quarentena? 

 

Provavelmente, o dia depois da quarentena não será como o imaginamos. A luta contra a COVID-19 é uma corrida de longa distância e, por isso, a nossa sobrevivência depende da nossa capacidade de adaptação. Aqui ficam as nossas melhores previsões e algumas ideias para ultrapassar a crise que já é significativa no Brasil.

 

Haverá um segundo surto de COVID-19?

Ninguém tem uma bola de cristal para prever o futuro. Mas sabemos que quando ultrapassarmos o pico da epidemia e o número de novos infetados por dia começar a diminuir, será graças às medidas de contenção e não porque o novo coronavírus “desapareceu”. O SARS-CoV-2 (o vírus que causa a COVID-19) continuará a circular pelo mundo e a transmitir-se. Portanto, existe a possibilidade de haver um novo surto quando as medidas de distanciamento forem levantadas.

 

Mas alguma vez aconteceu algo do gênero? Sim. A Gripe Espanhola de 1917-1918 teve três vagas ao longo de dois anos. A segunda foi especialmente mortal, primeiro porque o vírus se tinha mutado; depois, porque coincidiu com os últimos meses da Primeira Guerra Mundial, o que fez com que os soldados transportassem o vírus por todo o mundo. Ou seja, acabou por afetar regiões que tinham escapado “ilesas” à primeira vaga e que não tinham desenvolvido imunidade de grupo. 

 

Passando agora para Wuhan, 2020, um estudo da Lancet concluiu que levantar as medidas de distanciamento social prematuramente poderia causar um segundo surto de COVID-19 já em agosto. Um regresso progressivo da população ativa à vida normal é a melhor forma de adiar um segundo pico de contágios e “ganhar” tempo para isolar grupos de risco, melhorar a resposta dos sistemas de saúde e desenvolver uma vacina eficaz em grande escala, o que pode demorar 18 meses.

 

Como poderemos retomar a vida normal depois do COVID-19?

Apesar de tudo, o conhecimento que temos sobre o SARS-CoV-2 ainda é escasso. Todos os cenários assumem um comportamento semelhante ao de outros coronavírus. Por isso, a melhor maneira de planear o pós-quarentena é ter os olhos postos nos territórios que já controlam o vírus e que estão agora a regressar, pouco a pouco, à vida como a conhecíamos – Wuhan, Macau, outras províncias chinesas e a Coreia do Sul. 

 

Como preparar  a sua empresa para o pós-quarentena 

Com o conhecimento de que dispomos hoje sobre O SARS-CoV-2 e a COVID-19, deixamos abaixo algumas das melhores medidas que pode adotar na sua empresa no regresso ao trabalho depois da quarentena. 

 

Regresso progressivo ao trabalho depois da quarentena. 

Prepare um regresso ao trabalho de forma progressiva no pós-quarentena. Comece por reabrir apenas com “serviços mínimos” presenciais e permita que todos os outros funcionários fiquem em teletrabalho. A parte positiva é que, entretanto, a sua equipe já afinou todos os detalhes para trabalhar e comunicar bem à distância.

Trace também um perfil da sua equipe: os primeiros a regressar deverão ser os curados (a confirmar-se que têm anticorpos contra o vírus e que não pode haver reinfeção), seguidos dos jovens saudáveis e de outros grupos etários sem patologias associadas. Dispense os grupos de risco de trabalho presencial (maiores de 60 anos, pessoas com diabetes ou outras doenças autoimunes, doenças cardiovasculares, problemas oncológicos, asmáticos e diagnosticados com DPOC).

 

Equipes trabalhando em espelho. 

O trabalho em espelho é uma das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para assegurar os cuidados nos lares durante o surto. Ou seja, por cada trabalhador no ativo, há alguém “de banco” disponível para o substituir no caso de ter de ficar em isolamento profilático. Esta pode ser uma solução para as equipes de housekeeping e para empresas de assistência técnica que estão a tentar cumprir todos os seus Acordos de Nível de Serviço (SLAs). 

 

Faça um cronograma para trabalho presencial rotativo.

Se quer reunir a equipe presencialmente, tenha em atenção o número máximo de pessoas que pode ocupar o escritório sem desrespeitar a distância de segurança (pelo menos dois metros em espaços fechados). Uma solução pode passar por criar um cronograma rotativo em que nem todas as equipes trabalham presencialmente ao mesmo tempo. Por exemplo, a equipe de marketing pode reunir e ocupar o escritório na primeira semana do mês, a de R&D na segunda, e assim sucessivamente. As salas devem estar sempre arejadas e deve evitar a recirculação do ar através do sistema de ar condicionado. 

 

Prepare uma reserva estratégica de material.

Além das medidas de distanciamento social, a melhor forma de evitar a propagação do vírus é lavar as mãos. Aumente as reservas de álcool gel (com uma concentração de pelo menos 60% de álcool) e disponibilize esses desinfetantes em pontos estratégicos, como portas e elevadores – esta estratégia foi altamente eficaz para conter o vírus em Taiwan e recupera os princípios usados para combater o vírus H1N1 em 2009. Dependendo da sua área de atuação, também deve preparar uma reserva, ou pelo menos assegurar um fornecimento contínuo, de luvas de nitrilo e outros materiais de proteção.

 

Zonas de desinfeção e serviço de lavandaria.

Para segurança de todos, crie um zona em que os seus funcionários possam despir as fardas e desfazer-se de materiais potencialmente contaminados, como luvas e máscaras. Se possível, as fardas devem ser lavadas a altas temperaturas (60 – 70ºC) e trocadas todos os dias. 

 

→ Saiba mais sobre como se proteger do contágio de COVID-19 no trabalho.

 

Reduzir as deslocações em trabalho. 

Reduza as deslocações de trabalho ao mínimo. Tente prestar mais apoio aos seus colegas, funcionários e clientes de forma remota, nem que isso signifique produzir instruções mais completas ou guias DIY (“faça você mesmo”) para reparações simples. Considere implementar soluções contactless. Mantenha as reuniões por videoconferência e faça com que os seus comerciais se tornem especialistas em inside sales. Dispense as viagens não essenciais, especialmente se forem a países onde ainda há transmissão ativa do vírus. Pode haver uma curva de aprendizagem aqui – mas, com todas as soluções tecnológicas de que dispomos, só tem de encontrar as ferramentas certas

 

Siga as orientações das autoridades.

A Direção Geral da Saúde de Portugal tem lançado uma série de orientações e guias para as instituições, também úteis para as organizações brasileiras. Muitos destes cuidados continuarão a ser necessários durante os próximos meses para evitar um segundo surto do vírus, por isso faz sentido lê-los para planear o seu regresso ao trabalho. 

 

A Infraspeak continuará a publicar mais artigos sobre como reagir à epidemia de COVID-19 e gestão de crise para gestores de facilities. Queremos que os planos que está a fazer durante a quarentena não fiquem no papel! Inscreva-se na nossa newsletter e esteja atento ao nosso blog para ter acesso a todos os recursos que temos disponíveis sobre o novo coronavírus.