MRO significa “Maintenance, Repair, and Overhaul” ou Manutenção, Reparação e Revisão. O conceito foi desenvolvido pelo Ministério da Defesa dos Estados Unidos para os ativos do Exército e da Força Aérea. No entanto, fora da indústria de aviação e aeroespacial, MRO quase sempre significa Manutenção, Reparação e Operações.

 

O que é MRO?

MRO descreve todas as ações, mão-de-obra e materiais necessários para manter cada máquina a funcionar. Isto inclui tudo desde peças suplentes até às ferramentas para fazer testes, inspeções, medições e reparações. Por outras palavras, tudo o que precisa para tarefas comuns de manutenção, reparação e para manter todos os ativos operacionais. A título de exemplo, estes são alguns materiais que deve incluir no MRO:

 

  • peças suplentes para as máquinas de produção, por ex., bombas, correias e válvulas; 
  • ferramentas ou equipamentos para reparações atuais ou programadas; 
  • consumíveis, por ex., lubrificantes, isolantes, luvas, pilhas, materiais de proteção, papel; 
  • materiais de segurança, por ex., extintores, detetores de monóxido de carbono. 

 

Quais são os benefícios do MRO?

Criar uma lista de todos os materiais que mencionámos acima pode parecer um trabalho exigente, mas os benefícios são significativos:

 

  • menos custos operacionais, porque sabe exatamente que materiais vai precisar;
  • menor turn-around time e menos filas de espera, porque consegue gerir melhor os stocks e o armazém; 
  • mais produtividade, devido a uma maior disponibilidade e manutenibilidade das máquinas;
  • maior satisfação dos clientes, que é uma consequência direta de todos os anteriores.

 

Contudo, o efeito do MRO não se nota só ao nível da produtividade. O maior trunfo está na estratégia conhecida como “MRO Procurement”, que em Português seria gestão de stocks MRO ou gestão e aquisição de materiais MRO. 

 

O que é a gestão de materiais MRO? 

Numa fábrica ou unidade de produção, podemos dividir as despesas em duas categorias: diretas e indiretas. As despesas diretas dizem respeito a todas as aquisições que se destinam diretamente à produção, a chamada “cadeia de fornecimento”. Os materiais que não se usam no produto final, como as ferramentas e as peças para as tarefas de manutenção, são considerados despesas indiretas. 

 

Apesar de não serem utilizados diretamente no produto final, são estes materiais que mantêm a maquinaria operacional. É por isso que esta cadeia de fornecimento indireto – e que assegura disponibilidade dos ativos – faz parte de uma gestão eficiente. Já percebeu onde queremos chegar? Gerir stocks e materiais para manutenção e reparações é muito mais fácil através de MRO Procurement

 

No geral, podemos dividir a gestão de materiais em quatro grupos: 

  • manutenção e reparação de infraestrutura, o que inclui a manutenção de coberturas e de AVAC, arquitetura paisagística, sistema de iluminação, portas e janelas, disposição de resíduos, etc. 
  • manutenção e reparação de máquinas de produção, o que inclui manutenção preventiva e preditiva, além de manutenção reativa de sistemas mecânicos, eletromecânicos e eletrónicos. 
  • equipamentos para o manuseamento e transporte de materiais, como o transporte de matérias-primas até às linhas de produção, ao armazém ou ao cais de descarga.
  • ferramentas e consumíveis, incluindo instrumentos manuais e de corte, pinças, equipamento de proteção individual, adesivos, lubrificantes e materiais de limpeza.

 

O MRO e a gestão de materiais MRO valem a pena para si?

Alguma vez dá por si a pensar “para onde foi o dinheiro”? Provavelmente é porque só está a ter em consideração despesas diretas e a menosprezar despesas indiretas. Controlar estas despesas operacionais vai revelar custos que estavam “escondidos” e é por isso que vale a pena implementar MRO em qualquer grande empresa.  

  

A maioria destes materiais de manutenção parecem despesas pequenas. O custo de um par de luvas, por exemplo, parece completamente diluído no preço do produto final. Mas todas as despesas somam, e uma gestão de materiais eficiente não descarta nenhum gasto. Uma gestão de materiais MRO é muito vantajosa, especialmente se os diversos departamentos fazem encomendas de forma independente.

 

Controlar cada despesa, seja direta ou indireta, facilita a tomada de decisões, além de melhorar a gestão de stocks e o armazenamento do inventário. Recomendamos armazenar os materiais MRO no mesmo sítio, de forma a que os técnicos tenham tudo o que precisam à mão. Finalmente, reunir toda a informação numa só plataforma faz com que seja mais simples controlar todas as despesas associadas à manutenção e reparação de equipamentos. 

Se gostava de saber como é que a Infraspeak o pode ajudar a tomar decisões mais inteligentes, entre em contacto com um dos nossos especialistas e agende uma demo.