O verde é a cor que o olho humano vê melhor. Mais, temos associações tão positivas com o verde que chega a ter um efeito relaxante para o nosso cérebro. A Sociedade de Psicologia Americana sugere que os espaços verdes nas cidades, nos hospitais e nos locais de trabalho são revigorantes e aumentam o nosso bem-estar físico e mental. Portanto, não há dúvidas de que a manutenção de espaços verdes só pode crescer no futuro. 

 

Mas atrair o consumidor com um ambiente mais relaxante não é a única vantagem de prestar atenção ao exterior. Os espaços verdes também valorizam as propriedades, aumentam a produtividade dos trabalhadores em 20% e diminuem a pegada ecológica das empresas. Tendo em conta estas vantagens, a manutenção de espaços verdes é importante em infraestruturas como:

 

  • hotéis;
  • centros comerciais;
  • edifícios de escritórios;
  • complexos desportivos;
  • condomínios privados; 
  • escolas e polos universitários. 

 

O que é a gestão de espaços exteriores e a manutenção de espaços verdes?

A manutenção de espaços exteriores não inclui só os espaços verdes, mas também toda a infraestrutura que os rodeia – caminhos, portões, rampas de acesso, iluminação, bancos, pérgulas, mesas de refeições, bebedouros, sistemas de rega, fontes e lagos artificiais, entre outros. Aliás, a longo prazo, a manutenção destas infraestruturas é essencial para manter o jardim fiel ao projeto original. 

 

Embora os jardins necessitem de manutenção regular para se manterem frondosos, as plantas e os arbustos crescem e tornam-se ainda mais bonitos com o tempo. Por outro lado, as infraestruturas degradam-se e perdem beleza e funcionalidade. Com a agravante, claro, de serem difíceis de remodelar sem destruir parte do jardim que demorou tantos anos a construir.

 

Por  este motivo, a gestão de espaços exteriores inclui:

 

Manutenção de jardins.

A manutenção do jardim inclui tarefas como cortar o relvado, podar as copas das árvores, aparar sebes e arbustos, cuidar de jardins ornamentais, retirar ervas daninhas, irrigar o solo, adubar, controlar pragas, limpar folhas e lixo, cortar árvores em risco de queda, remover neve e granizo. 

 

Manutenção de equipamentos eletromecânicos.

A manutenção de portões elétricos, aspersores e microaspersores de rega, sensores, iluminação, alarmes, sistemas de recirculação de água em fontes ornamentais ou lagos artificiais e análises à água. Ocasionalmente, também pode incluir a reparação de veículos utilitários (por exemplo, carrinhos de golfe), mini-tratores corta-relva, podadoras e corta-sebes elétricos.

 

Manutenção de outros espaços ao ar livre.

Em muitos casos, é preciso executar a manutenção de outros espaços ao ar livre, como campos de jogos, parques infantis, zonas de refeição, alpendres, parkings e estruturas de acesso. Este tipo de manutenção requer um terceiro grupo de profissionais – além dos jardineiros e dos técnicos eletromecânicos – que deve ser definido consoante as características do espaço. 

 

Manutenção de espaços verdes: como poupar água?

A manutenção dos espaços verdes também impacta uma das questões mais críticas dos últimos anos, o consumo exagerado de água. Quer seja por razões ambientais, secas, ou simplesmente pelo aumento dos custos, não faltam motivos para poupar água. Tendo isto em consideração, deixamos aqui 5 sugestões para os facility managers que precisam de controlar o consumo de água em jardins:

 

Instalar sistemas de rega gota a gota. 

Os sistemas de rega gota a gota permitem uma poupança de 40-70% de água em relação a outros sistemas de rega. Neste tipo de sistemas, o caudal de água é calculado em função do tipo de planta ou cultura. Além disso, como a água fica mais próxima do solo, há menos evaporação e mantém a planta hidratada durante mais tempo.

 

Controlar o horário da rega automática.

Quando a rega gota a gota não é uma opção (campos de futebol ou de golfe, por exemplo), uma das pedidas que os gestores de manutenção podem tomar para poupar água é ajustar o horário da rega automática. Prefira regar às horas mais frescas, sobretudo ao início do dia – ao fim do dia, embora também evite a evaporação, arrisca “alagar” as raízes durante toda a noite.

 

Manter o solo hidratado.

Melhorar a qualidade nutritiva do solo vai mantê-lo hidratado durante mais tempo. Felizmente, há compostores e máquinas de compostagem acelerada que os hotéis e os centros comerciais, por exemplo, podem usar para produzir adubo a partir de cascas e restos de comida. Não só é sustentável e zero waste, como também poupa custos em jardinagem.

 

Aproveitar a água das chuvas.

Outra solução cada vez mais popular na gestão de edifícios é aproveitar a água das chuvas para regar as zonas ajardinadas. 

 

Implementar um sistema de Rega Inteligente (SRI).

Os SRIs (que são compatíveis com aspersores e sistemas gota a gota) têm uma série de sensores que se ligam a uma plataforma de gestão. É possível controlar o sistema remotamente e reprogramar a rega segundo a informação recolhida por cada sensor. Muitos destes sistemas são compatíveis com sensores de solo e sensores de pluviosidade que interrompem a rega quando chove, por exemplo.

 

Além destas soluções técnicas para poupar água, há outras medidas de arquitetura paisagística que podem facilitar a manutenção do jardim. 

 

Agrupar plantas segundo as suas necessidades de rega.

Ao agrupar as plantas segundo o tipo de clima e solo de que precisam, pode criar diferentes zonas de rega e otimizar o consumo de água. 

 

Escolher plantas adequadas ao clima e espécies mais resistentes.

A manutenção de espaços verdes é mais fácil quando opta por plantas autóctones. Em zonas com seca frequente, escolha as espécies resistentes ao calor e que precisam de pouca água.

 

Usar uma cobertura seca.

Cobrir o solo com uma cobertura seca (como pedras decorativas ou cascas de árvores secas) evita a evaporação da água.

 

Manutenção de espaços verdes: controlo ecológico de pragas e de pássaros

Outra preocupação de quem cuida de áreas verdes é o controlo de pragas, como fungos, pulgões e outros insetos. É uma questão não só de conforto, mas também de saúde e sustentabilidade. Aqui estão algumas sugestões de manutenção para melhorar este ponto:

 

Procurar alternativas aos produtos químicos.

O uso de pesticidas em espaços públicos é proibido desde 2017. No entanto, os produtos químicos para controlo de pragas ainda são comuns. Procure receitas caseiras ou métodos de agricultura biológica (por exemplo, plantar espécies que repelem insetos, utilizar barreiras, entre outros) para evitar inseticidas e fungicidas. No caso de não haver alternativa, opte por fitofármacos de baixo risco.

 

Preparar a aplicação de tratamentos.

Se vai aplicar um tratamento para controlar as pragas em formato aerossol, escolha (dentro do possível) os dias em que a área é menos usada. Os técnicos ou jardineiros que aplicarem o produto devem ter material de proteção adequado, incluindo luvas, máscara, óculos de proteção ou viseira. 

 

Controlar pássaros com métodos não agressivos.

Em zonas onde os pássaros nidificam e se tornam num problema, não salte imediatamente para métodos agressivos como espetos, pontos anti-pombos ou faixas eletrificadas, por exemplo. Experimente afugentar os pássaros com materiais metálicos ou repelentes de pássaros sonoros (que usam frequências não percetíveis para nós, humanos). 

 

Se gere um edifício com uma área exterior e jardins, não menospreze a importância da manutenção dos espaços verdes. Com os cuidados adequados, é possível proporcionar uma experiência agradável aos consumidores sem desperdiçar água ou agredir o ambiente.