No que toca à reabertura dos hotéis depois da inatividade devida à COVID-19,  não há espaço para o improviso. A pensar no que será esse “novo normal” da hotelaria, a Infraspeak preparou uma checklist de medidas para prevenir o contágio de COVID-19 no seu hotel. 

 

Como é de prever, grande parte do peso recai sobre a equipa de housekeeping. A desinfeção dos quartos e das áreas comuns é o passo número um para combater a propagação do vírus dentro de um hotel. Para segurança de todos, os seus funcionários têm de proteger os hóspedes e proteger-se a si mesmos. E, como não podíamos evitar, também incluímos alguns cuidados extra de manutenção. 

 

Como receber hóspedes infetados com COVID-19

 

O vírus não vai desaparecer, e por isso existe a possibilidade bem real de vir a ter de receber hóspedes infetados, hóspedes com suspeita de infeção ou que vão cumprir uma quarentena de 14 dias à chegada. Isto obriga a sua equipa a ter alguns cuidados especiais, sem nunca comprometer o conforto do hóspede. 

 

✓ No caso de ter um hóspede com suspeita de infeção por COVID-19, deve isolá-lo num quarto com telefone, casa de banho própria, contentor para lixo biológico, termómetro, água, kit de alimentação e material de proteção enquanto aguarda pela chegada dos profissionais de saúde. É preferível que este quarto tenha ventilação natural e não tenha carpetes, alcatifas ou cortinas (que são difíceis de desinfetar).

 

✓ Se tem hóspedes que vão precisar de cumprir quarentena por terem viajado num voo com portadores de COVID-19 ou por terem chegado de áreas com transmissão comunitária do vírus, deve avisar a equipa de serviço de quartos. Os funcionários devem trocar de equipamento de proteção em cada potencial quarto infetado.

 

✓ Se está à espera de ter vários hóspedes a cumprir quarentena, facilite a comunicação destes hóspedes com a equipa de room service e housekeeping através de intercomunicadores. Pondere oferecer pensão completa nos 14 dias posteriores à chegada e, em caso de necessidade, assegure que estes hóspedes não têm de abandonar o hotel para comprar medicação.

 

✓ Todos os quartos com suspeitos de COVID-19 devem estar equipados com um sistema de alarme que o hóspede pode acionar em caso de emergência. 

 

✓ Deve usar dois sacos de lixo para os resíduos provenientes destes quartos. 

 

Preparar a equipa de housekeeping para desinfetar e eliminar o coronavírus

A equipa de housekeeping é a que está mais sujeita ao perigo. Para evitar o contágio por SARS-CoV-2, terá de adotar novas medidas de limpeza. 

 

✓ Adapte a checklist das tarefas de housekeeping a efetuar em cada limpeza, especialmente após cada check-out.

 

✓ Treine as pessoas que tratam da roupa da cama e dos quartos para utilizar equipamentos de proteção individual (máscara, luvas de nitrilo, avental de plástico, proteção para os olhos), pois estão em maior risco. 

 

✓ Planeie novas rotinas de trabalho e divida as equipas: uma equipa remove a roupa de cama e as toalhas; depois, com um espaçamento de 2-4 horas, é outra equipa que a troca.

 

✓ A equipa que vai ficar responsável por remover a roupa dos quartos não deve “agitar” nem sacudir os lençóis, que devem ser enrolados de forma a fazer um “embrulho”.

 

✓ Explique a toda a equipa de housekeeping como desinfetar superfícies com lixívia, cloro ou álcool 70% e as respetivas concentrações de desinfetante. Em alternativa, para não danificar materiais sensíveis (como madeiras ou bases de duche em resina), podem ser utilizados detergentes virucidas. 

 

✓ Os panos de limpeza devem ser de uso único; o balde e a esfregona para limpar a casa de banho não devem ser utilizados nos quartos e vice-versa. A limpeza deve ser feita da zona (presumivelmente) mais limpa para a mais suja. 

 

✓ Defina uma máquina de lavar exclusiva para uso dos profissionais responsáveis pela limpeza dos quartos. A roupa deve ser lavada a pelo menos 60ºC durante 30 minutos. Se o tecido não suportar esta temperatura, deve ser feito um segundo ciclo com desinfectante apropriado.

 

✓ A limpeza dos quartos deve começar a incluir a desinfeção cuidada de todos os comandos e interruptores – se possível, permita que os hóspedes controlem a TV e o AC a partir dos seus telemóveis. 

 

✓ As paredes, tanto nos quartos como nas áreas comuns, devem ser limpas até à altura de um braço. 

 

✓ As áreas comuns de maior passagem, como a receção, devem ser desinfetadas várias vezes por dia. Os terminais de multibanco devem ser desinfetados com uma toalhita após cada utilização – não use álcool puro no terminal, pois pode danificar irreparavelmente o TPA. 

 

✓ A loiça deve ser sempre levada à máquina, pelo menos a 60ºC. 

 

✓ Não use o aspirador de pó, porque transforma as gotículas de vírus em aerossóis. A limpeza deve ser sempre húmida ou com aspiradores a água. 

 

Saiba mais sobre como organizar a sua equipa depois da quarentena

 

Diminuir o contágio hóspede-funcionário e hóspede-hóspede

O distanciamento social é uma das formas mais eficazes de prevenir o contágio, já que o SARS-CoV-2 se propaga quando alguém infetado fala, tosse ou espirra. Então, prepare-se para fazer alguns ajustes ao funcionamento normal do hotel e evitar o contágio entre hóspedes ou entre hóspedes e funcionários. 

 

✓ Coloque dispensadores de uma solução antissética em todos os pontos de entrada e saída: porta principal, junto à recepção; à entrada de cada piso, junto aos elevadores; e à entrada das salas de refeições.

 

✓ Evite as filas de espera na recepção – pondere aderir a sistemas e quiosques de check-in automático para que evitar as filas.

 

✓ As chaves dos quartos devem ser desinfetadas após cada check-out ou, se possível, substituídas por chaves digitais.

 

✓ Defina um número máximo de pessoas que pode permanecer ao mesmo tempo nas zonas comuns, de forma a cumprir as regras de distanciamento social. Se necessário, expanda a área dedicada ao serviço de pequenos almoços para garantir a segurança de todos. Caso não exista essa possibilidade, ofereça room service aos hóspedes sem lugar na sala de pequenos-almoços, restaurante ou bar. 

 

✓ Suspenda serviços de SPA que não são compatíveis com o distanciamento social, como massagens terapêuticas e acupuntura. 

 

✓ Sempre que possível, os hóspedes devem usar o seu próprio equipamento desportivo. Se costuma alugar material para a prática de desporto (por exemplo, raquetes, bicicletas, óculos de mergulho, tacos de golfe), deve desinfetar após cada uso e aguardar algumas horas antes de o disponibilizar a outro hóspede. 

 

Cuidados extra de manutenção 

Assegurar a ventilação dos espaços, evitar a recirculação de ar e água são cuidados de manutenção que proporcionam uma segurança extra aos seus hóspedes e funcionários.

 

✓ A ventilação deve estar ligada 24/7: em ambientes fechados, a distância de 2 metros não é o suficiente para evitar a propagação do vírus

 

✓ Os técnicos de manutenção devem conhecer as melhores práticas para operar os sistemas AVAC durante a epidemia e usar equipamento de proteção (óculos e viseiras) sempre que vão substituir filtros. 

 

✓ Se o hotel continua parcialmente fechado, não se esqueça de usar todos os pontos de água (torneiras e chuveiros) pelo menos uma vez por semana para evitar a proliferação de micro-organismos como a legionella. É recomendável fazer análises à água da piscina, jacuzzi e fontes artificiais. Veja aqui mais medidas de manutenção que são essenciais mesmo em hotéis fechados.

 

✓ Se um hóspede com COVID-19 usou recentemente a piscina, deve ser lavada e desinfetada (incluindo as escadas de acesso, plataformas de salto e jatos tipo bico de pato). Pode seguir os procedimentos habituais relativamente à cloragem.

 

✓ Se um hóspede com COVID-19 usou recentemente o jacuzzi, é recomendável despejar toda a água, lavar e desinfetar. Volte a encher com água desinfetada com cloro.