Os equipamentos, máquinas, sistemas e instalações têm vindo a evoluir e a modificar-se ao longo dos tempos, tornando-se cada vez mais sofisticados, exigindo uma melhoria contínua nos processos de manutenção e um trabalho mais rigoroso da parte do gestor de manutenção.

Apesar da evolução nos equipamentos e instalações, as necessidades de manutenção continuam a ser semelhantes. Por esse motivo. e compreendendo a manutenção como um conjunto de ações técnicas, que permitem regular o normal funcionamento desses mesmos equipamentos, podemos dividi-la em dois grandes grupos: preventiva e corretiva.

Manutenção Preventiva

Como gestor de manutenção, deve compreender a preventiva, como a manutenção que é realizada, não quando o equipamento está em mau funcionamento, mas sim como forma de prevenir que isso aconteça. Como o próprio nome indica, a preventiva é a manutenção efetuada com objetivo de prevenir avarias.

Por norma este tipo de manutenção é realizado em períodos de tempo ou critérios preestabelecidos, dando origem ao que denominamos por manutenção programada e manutenção sistemática, tendo em vista a redução do risco de mau funcionamento e degradação dos equipamentos.

Dentro da preventiva e tendo em conta o tipo equipamento ou infraestrutura, o gestor de manutenção pode ter de gerir ainda a manutenção condicionada e a manutenção preditiva que preveem a vigilância do funcionamento e parâmetros de degradação de um equipamento.

Manutenção Corretiva

Como gestor de manutenção, deve compreender a corretiva, como a manutenção que é realizada quando é detetado um defeito, avaria ou anomalia num determinado equipamento. Como o próprio nome indica, a corretiva é a manutenção efetuada com objetivo de corrigir um problema.

Ao contrário da manutenção preventiva, a corretiva não é predeterminada, uma vez que só entra em ação quando há avaria ou mau funcionamento de uma instalação ou equipamento.

Dentro da corretiva e mais uma vez, tendo sempre em conta o tipo equipamento ou infraestrutura, o gestor de manutenção pode ter que efetuar a manutenção diferida ou manutenção de urgência.

No fundo, ao gestor de manutenção mais do que compreender estes dois grandes grupos, cabe a tarefa de assegurar que ambas, manutenção preventiva e manutenção corretiva sejam efetuadas de forma eficiente nos equipamentos e infraestruturas dos quais é responsável.