Fazer manutenção preventiva no setor hoteleiro implica um conhecimento profundo de todos os equipamentos e instalações, das áreas chave de intervenção e do fluxo de hóspedes do hotel.

Entre os tipos de manutenção existentes, a manutenção preventiva é uma ferramenta indispensável para o gestor. Como o próprio nome indica, a manutenção preventiva ambiciona que a manutenção se antecipe à ocorrência de avarias, contribuindo diretamente para a satisfação dos hóspedes.

A regra dos 80/20 para a manutenção em hotéis

Existe uma regra informal na gestão hoteleira que recomenda que os hotéis procurem aumentar as suas ações de manutenção preventiva e reduzir as correções de avarias até chegar à rpoporção de 80% para as tarefas planeadas e apenas 20% de trabalhos fora do plano.

Porquê? Além do impacto na experiência dos hóspedes, como as intervenções não planeadas têm geralmente um maior custo para a operação, reduzi-las ao máximo traz mais poupanças para o hotel.

Áreas-chave da manutenção preventiva em hotéis

O maior ativo de um hotel é o quarto. Um quarto nas melhores condições assegura uma experiência impecável para o hóspede, independentemente do tempo de sua estadia. Para que isto ocorra sem surpresas nem constrangimentos, a manutenção preventiva é essencial ao hotel.

O gestor de manutenção deve concentrar os esforços da sua equipa em áreas específicas num hotel onde o investimento em manutenção preventiva deve ser maior, tanto pelas alterações sazonais no fluxo de hóspedes, como pelo impacto no nível de satisfação do cliente.

São estas as áreas do hotel em que a manutenção preventiva deve ter maior foco:

  • Ar-condicionados — estão entre as reclamações mais comuns dos hóspedes, seja pela temperatura que não alcança os níveis desejados, ou pelo cheiro que possa estar a libertar. O cuidado com o ar condicionado é uma constante para os hotéis;
  • Iluminação — usar lâmpadas de boa qualidade e dar atenção ao tempo de vida das mesmas evita constrangimentos aos hóspedes;
  • Sistemas de aquecimento — têm um custo elevado e impacto imediato na experiência do hóspede. Portanto é importante verificar frequentemente possíveis fugas, fazer as limpezas adequadas e garantir a prevenção de doenças provocadas por bactérias que vivem nestes sistemas, como, por exemplo, a legionela;
  • Rede hidráulica — fugas, mesmo que pequenas, provocam grandes estragos na infraestrutura e na experiência dos utilizadores, como no caso de um mau cheiro decorrente de uma falha no sistema de esgoto;
  • Cozinhas — todos os equipamentos utilizados na cozinha devem ser mantidos com especial atenção para assegurar o padrão de qualidade e a adequação à Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controlo (HACCP).

Cada infraestrutura é diferente, e apresenta necessidades diferentes. Estas são as áreas mais comuns, mas se o gestor de manutenção conhecer bem a sua própria estrutura poderá definir quais são as áreas-chave para a manutenção preventiva do hotel, bem como planear a mesma de forma a interferir o mínimo possível com a estadia do cliente.

Como pode um software de manutenção ajudar na manutenção preventiva?

Um dos principais objetivos de um software de manutenção é ajudar os gestores a terem maior controlo sobre os seus equipamentos. Isto ajuda-os a mantê-los bom estado, evitando a reparação e custos desnecessários, sem que isto represente um excesso de trabalho administrativo.

Na manutenção preventiva, a funcionalidade essencial oferecida por um software de manutenção é a calendarização automatizada. Não é preciso abrir ficheiros Excel e refazer os planos e rotinas para o ano.

Soluções como o Infraspeak fazem isso de forma muito mais simples e eficiente. Os planos anuais são tão facilmente gerados quanto uma lista de trabalho diária. Além disso, o controlo sobre as rotinas diárias é facilitado, sem o uso de papéis e excesso de chamadas, o que liberta tempo aos gestores para se dedicarem à manutenção preventiva.

Deseja saber mais sobre como o Infraspeak pode melhorar a performance da manutenção preventiva do seu hotel? Visite o nosso site.