Como fazer manutenção preventiva?

How to do preventive maintenance?

A prevenção e correção de possíveis avarias em equipamentos evita inúmeros prejuízos e riscos de interrupção de funcionamento. Por esse motivo, explicamos, neste artigo, o que é e como efetuar Manutenção Preventiva.

O planeamento é a maior vantagem da Manutenção Preventiva, uma vez que, quando aplicada, as empresas registam uma melhoria substancial nas operações do negócio. São disso exemplo o aumento da produtividade, diminuição de gastos com peças e transporte e diminuição do tempo perdido na resposta a emergências e diagnóstico de avarias. Por sua vez, as intervenções corretivas e não planeadas – apesar de necessárias -, podem ter diversos custos associados (diretos ou indiretos) e que podem ser evitados.

Planear reparações e monitorizar equipamentos é, muitas vezes, a forma mais adequada de prevenir a interrupção das atividades e, em ultima instância, o incómodo ou insatisfação de clientes. Este é um método eficaz para as empresas controlarem e garantirem o pleno funcionamento dos seus equipamentos, sem ser necessário desligá-los ou até mesmo perdê-los por falta de manutenção adequada.

Como efetuar Manutenção Preventiva?

1. Escolher as pessoas certas

Antes de iniciar o plano de Manutenção Preventiva, é importante garantir a inclusão das pessoas certas no processo. A monitorização periódica deve ser levada a cabo por pessoal qualificado e apto para resolver os eventuais problemas que aparecerão com o decorrer do tempo. A comunicação e o feedback entre a equipa são também pontos importantes.

2. Criar planos de trabalho

Devem definir-se os equipamentos em que faz sentido aplicar a Manutenção Preventiva, nomeadamente aqueles que têm uma função crítica no negócio e cujos custos envolvidos numa eventual reparação são considerados muito superiores às inspeções regulares e técnicas preventivas.

Este inventário dos ativos e criação de planos de trabalho poderá ter o apoio de um software de gestão de manutenção como o Infraspeak e deve incluir informações como a marca e modelo do equipamento, número de série, especificações básicas e capacidades, categoria, entre outras. Os ativos podem ainda ser categorizados, por exemplo, por local, tipo de equipamento, fornecedor e técnico.

3. Definir objetivos

A informação recolhida sobre os ativos será a base para seguir os custos e determinar se/quando um equipamento precisa de ser reparado ou substituído. É, por isso, aconselhável, apontar-se as condição atuais do equipamento e classificar o seu nível de prioridade em relação ao funcionamento geral das operações.

A Manutenção Preventiva prevê a definição de objetivos e KPI’s sobre os planos de trabalho, que devem ser consultados e analisados. O gestor deve ainda acompanhar as ocorrências, a percentagem de cumprimento e o seu estado e aceder facilmente aos próximos trabalhos agendados.

De notar que as intervenções preventivas devem sempre ser planeadas, ou seja, todas as etapas da execução devem estar previamente bem definidas, levando em consideração aspetos como os materiais, mão de obra necessária e até mesmo a contratação de serviços externos especializados. Desta forma, não podem ocorrer imprevistos na Manutenção Preventiva. Estes serão sempre categorizados como ações corretivas.

4. Organizar as operações

As intervenções preventivas necessitam de diversos documentos, como folhas de cálculo, lista de equipamentos, relatórios de execução, leituras e medições, entre outras. Para facilitar o trabalho, estes documentos podem ser gerados com o apoio a um software de gestão de manutenção.

Na Manutenção Preventiva, as etapas da intervenção devem ser sempre realizadas de acordo com um cronograma e/ou com índices de funcionamento do ativo. O período de revisão, por exemplo, será baseado em históricos ou recomendações do fabricante.

Além das revisões sistemáticas do equipamento, a Manutenção Preventiva inclui as lubrificações periódicas, os planos de inspeção, os planos de calibração e/ou de aferição, entre outros pontos que dependerão do tipo e do estado do ativo.

5. Acompanhar em tempo-real

Para efetuar a Manutenção Preventiva, devem criar-se planos detalhados por intervenção, que definam automaticamente o seu tempo estimado de duração. Além disso, o gestor deve acompanhar em tempo-real a sua execução para ter conhecimento da disponibilidade dos técnicos e fazer uma melhor gestão da equipa e das próprias intervenções.

—-

A Manutenção Preventiva permite monitorar, de forma contínua regular, o estado dos equipamentos e perceber quando e quais devem ser reparados ou substituídos. Os custos são sempre acompanhados de perto para um maior aproveitamento do investimento realizado e uma gestão minuciosa das operações.

Veja também o nosso artigo sobre como elaborar um Plano de Manutenção Preventiva (PMP).