Como deve já saber, há várias abordagens à manutenção que deve ter em conta na definição da estratégia de manutenção que se adequa às suas operações e que está dentro do seu orçamento.

As três principais estratégias que deve considerar são (1) a Manutenção Corretiva, também conhecida como manutenção reativa ou “funcionar até avariar”; (2) a Manutenção Preventiva, que é manutenção regular efetuada de acordo com calendários definidos, independentemente da condição do equipamento; e (3) a Manutenção Preditiva, ou manutenção com base na condição, que se baseia na constante monitorização do equipamento em funcionamento e na previsão de avarias.

Antes de mais, falemos dos prós de cada uma:

1. Manutenção Corretiva

Como esta abordagem é caracterizada por ações de manutenção após a ocorrência de uma falha, é ideal para equipamentos de baixa prioridade, ou seja, sem os quais as operações da empresa podem continuar a funcionar normalmente.

O mesmo se aplica a equipamentos de menor valor, visto que o trabalho necessário para lhes dar manutenção ou monitorização constante pode acabar por ser mais caro do que a reparação ou substituição quando há avarias.

Tendo em conta que é necessário muito pouco planeamento para esta abordagem, o seu custo de implementação é muito baixo, em comparação com as alternativas.

2. Manutenção Preventiva

A Manutenção Preventiva funciona à volta de calendários e planos definidos (quer saber como elaborar um Plano de Manutenção Preventiva?).

Visto que o seu principal objetivo é prevenir a ocorrência de avarias, é uma boa estratégia para aplicar a equipamentos de grande prioridade, ou seja, aqueles sem os quais as operações da sua empresa não podem continuar o funcionamento normal.

Como é relativamente simples de planear e executar, a sua implementação não requer competências específicas e o custo, ainda que mais elevado do que o da Manutenção Corretiva, é modesto quando comparado, por exemplo, ao da Manutenção Preditiva.

3. Manutenção Preditiva

Esta abordagem baseia-se na condição física ou operacional dos ativos aquando da manutenção, ao invés de estatísticas e de calendários previamente definidos.

Assim, a manutenção efetuada vai sempre ser mais bem informada, necessária e oportuna, visto que o equipamento só será sujeito a manutenção quando uma avaria é prevista, o que diminuirá os custos e o tempo de mão-de-obra despendidos na manutenção.

E quais são os contras?

1. Manutenção Corretiva

Já que não são realizadas quaisquer ações preventivas numa estratégia de Manutenção Corretiva, o tempo de vida dos equipamentos acabará por ser mais curto do que com uma das estratégias alternativas.

Se aplicada a equipamentos de elevada prioridade ou valor (não deve ser!), levará eventualmente a paragens inesperadas e, possivelmente, enormes custos de reparação.

2. Manutenção Preventiva

Como não se baseiam na condição real dos equipamentos, os planos de Manutenção Preventiva podem, por vezes, ser ineficientes e resultar em ações de manutenção (incluindo substituição de peças) desnecessárias e que custam tempo e dinheiro.

O efeito é agravado quando uma abordagem preventiva é aplicada a ativos de baixa prioridade ou baixo custo que poderiam gerar custos mais baixos se apenas fossem reparados numa base reativa.

3. Manutenção Preditiva

A necessidade de investir em equipamentos de monitorização específicos, bem como na formação de pessoal para os usar corretamente e interpretar os dados recolhidos, torna a implementação desta estratégia muito cara.

Por esta razão, não é uma abordagem rentável para ativos que não são essenciais ao funcionamento adequado das suas operações.

Qual deve, então, ser a sua estratégia?

A melhor estratégia é ter um programa de manutenção que incorpore as diferentes abordagens, como for apropriado para cada tipo de equipamento, de acordo com o seu valor e prioridade.

Os sistemas de Gestão de Manutenção (CMMS) como o Infraspeak existem precisamente para o ajudar a definir, executar e monitorizar a sua estratégia de manutenção. Se está em dúvida acerca de investir neste tipo de sistema, leia o nosso artigo sobre 5 sinais de que deve investir num CMMS, ou sobre como um CMMS o pode ajudar a poupar dinheiro.