5 razões para você investir em um CMMS

Gestor de equipe analisando dados gerados por um CMMS na tela de um computador.

Você consegue imaginar seus dias sem seu smartphone? Aposto que não. Dispositivos móveis e a tecnologia fazem parte das nossas vidas em tantos aspectos que é difícil até mesmo lembrar como as coisas aconteciam antigamente. No ambiente corporativo não é diferente. A tecnologia contribui para uma melhor gestão de pessoas, documentos e, principalmente, para tomar  melhores decisões de negócio. 

Entre vários sistemas disponíveis para auxiliar a gestão de empresas, um dos que mais contribui com o sucesso da gestão de manutenção é o CMMS – Computerized Maintenance Management System ou, em português, sistema computadorizado de gestão de manutenção. 

Já ouviu falar na Internet das Coisas? O CMMS é um dos facilitadores desse conceito, que conecta objetos, ativos, documentos e pessoas.

Um CMMS é um software de manutenção para gerir todos os processos e operações de infraestruturas ou equipamentos que exigem algum tipo de manutenção. Por meio dele, é possível criar calendários, atender necessidades com precisão, economizar recursos e, ainda, tomar decisões a partir de todas as informações geradas e mantidas no sistema. 

A gente sabe que, lá no passado, quando a tecnologia não existia – e a gente mal se lembra como as coisas funcionavam, todos esses processos eram feitos no lápis e no papel. Mas, hoje eles acontecem de forma mais inteligente e prática na frente do computador ou na palma da sua mão em um smartphone.

Um CMMS reúne diferentes etapas da gestão de manutenção, desde chamados de, até a realização da dela e criação de inteligência de dados. A plataforma permite ainda integrar dados com outros softwares da mesma empresa. Assim, ele ainda contribui com o processo de modernização de uma empresa. Mas, se a praticidade desse sistema não é suficiente para te convencer da importância de usá-lo, trouxemos 5 razões pelas quais você deve investir em um CMMS.

Manutenção preventiva de verdade

A manutenção preventiva é um dos processos de manutenção mais importantes dentro de uma empresa. Ela tem como premissa o planejamento de manutenções nos ativos antes que eles tenham qualquer problema, para evitar avarias e aumentar o tempo de vida útil de equipamentos. Este tipo de manutenção reduz o tempo de paradas não planejadas e diminui a ociosidade da produção. 

O uso de um CMMS contribui para a criação de um calendário eficiente de manutenções, considerando a relevância dos equipamentos, períodos de baixa na produção – como sazonalidades e férias coletivas – e, ainda, a época de manutenção de equipamentos essenciais para a produção. 

Padronização de processos e rotinas

Além de um bom planejamento, processos inteligentes também contribuem para o sucesso da gestão de manutenção. A criação de rotinas dentro de um setor garante um melhor ambiente de trabalho e a qualidade de processos realizados.

Já imaginou se cada turno e cada profissional executasse a mesma tarefa de formas diferentes? Isso prejudicaria o resultado final obtido e, até mesmo, a previsão de tempo gasto para a execução.

Para garantir que isso não aconteça, é fundamental que o gestor determine previamente processos de manutenção. Para garantir que sejam seguidos, o CMMS é uma ferramenta indispensável. O gestor cria listas de tarefas dentro do sistema de forma que todos trabalhem usando os mesmos procedimentos e sigam as práticas pré-definidas.

Informação em tempo real e na palma da mão

O setor de manutenção, muitas vezes, possui ativos fora da empresa que precisam de cuidados assim como aqueles que estão dentro da sede da companhia. Ou, mesmo, a manutenção precisa ser realizada em uma máquina instalada para um cliente. E isso torna a gestão muito mais delicada. Como acompanhar, por exemplo, se o técnico realizou a manutenção quando planejado?

Um CMMS pode contribuir para que o gestor faça o acompanhamento em tempo real dessa operação.

Usamos por aqui um exemplo de manutenção externa mas o acompanhamento em tempo real também é importante mesmo que aconteça dentro da sua empresa. Um CMMS armazena manuais e todo o histórico dos ativos cadastrados.

Assim, ao realizar a manutenção de um equipamento, o técnico pode ter acesso às informações sobre ele na hora. E, claro, ainda pode – e deve – registrar todos os procedimentos realizados, erros percebido, imagens, entre outros. 

Por meio do CMMS, técnicos também recebem, em tempo real, chamados de manutenções que devem ser realizadas em um determinado momento.

Acesso simplificado ao histórico de informações

Sabe quando algo inesperado acontece na empresa e gestores se reúnem para avaliar o caso? Nessa hora, todos devem estar munidos de números e informações sobre seus setores em busca da melhor solução para o problema. Você tem todas essas informações, de forma inteligente, à mão? Se a sua resposta for não, você pode ter um problema.

Um CMMS contribui para que você reúna, em um só lugar, todo o histórico de manutenção de máquinas e equipamentos da sua empresa. Essas informações devem ser usadas não apenas em um momento crítico. No dia a dia, manter um histórico atualizado de informações contribui para que decisões mais inteligentes sejam tomadas.

Além disso, a rotatividade de funcionários para outros setores ou, até mesmo, para outras empresas, pode fazer com que você perca informações cruciais sobre seus ativos, caso elas não seja registradas em um ambiente confiável e adequado. O CMMS pode armazenar toda a memória sobre manutenções realizadas em equipamentos e outros detalhes que podem ser esquecidos.

Cada equipamento deve ser mapeado para que tenha registrado todo o seu histórico: 

  • tempo útil de vida; 
  • últimos problemas registrados; 
  • manutenções realizadas; 
  • peças usadas; 
  • quanto tempo foi gasto em cada procedimento; 
  • agendamento das próximas manutenções; 

Com esse registro sendo realizado no dia a dia, o gestor de manutenção tem acesso facilitado a todas essas informações para realizar o seu trabalho de forma estratégica e prática.

Gestão de custos com a manutenção

Outra ferramenta disponível para o gestor de manutenção em um CMMS é o controle de custos. Em todos os procedimentos realizados pelo setor, é possível registrar peças usadas, históricos de serviços realizados em cada equipamento e tempo gasto. Essas informações contribuem para que o gestor tenha acesso a uma visão completa dos custos do setor, podendo tomar decisões estratégicas relacionadas ao orçamento.

Tais dados também são fundamentais na hora de definir o tipo de manutenção que cada equipamento terá: manutenção preventiva, preditiva ou corretiva. A partir do histórico de manutenções, o gestor consegue avaliar qual obteve custos mais baixos e determinar os próximos passos. 

Diante da parada de um equipamento, é possível, ainda, a partir de dados de custos, definir se uma máquina deve ser consertada ou substituída, por exemplo.

Está convencido de que um CMMS pode melhorar as suas operações e toda gestão de manutenção? Se sim, você pode pedir uma demonstração gratuita do CMMS da Infraspeak aqui.