Por onde começar uma rotina de manutenção? Elegemos algumas ferramentas que podem ajudar você na gestão e controle. Veja a seguir!

Antes de executar a manutenção propriamente dita, muitos passos devem ser cumpridos para que o resultado aconteça conforme o esperado. Uma rotina de manutenção começa muito antes da execução da equipe. Tudo precede das análises de manutenção, amparadas por um planejamento organizado, e metodologias que permitam desenvolver soluções sob uma perspectiva constante. Quando falamos em planejamento de manutenção vale lembrar: de nada adianta o investimento em novas tecnologias se a empresa não aposta em, mesmo internamente, difundir o novo mindset em torno do cuidado e da preservação dos seus próprios ativos.

Neste texto, vamos falar sobre as principais ferramentas para análise de manutenção. Dessa forma, apostando em algum desses caminhos, sua empresa poderá alcançar a tão almejada efetividade na hora de executar algum plano de manutenção. Veja a seguir.

Conheça cinco ferramentas para análise de manutenção

Existe uma série de opções no mercado. Mas, em comum, todas as alternativas que focam em facilitar a análise de manutenção também têm por objetivo o controle dos custos, a organização da agenda de trabalho de forma eficiente e a segurança de que a empresa cumpra toda a rotina de manutenção corretamente. Acreditamos que manutenção é investimento e não custo. Isso porque a deterioração dos equipamentos e as más condições de uso acarretam em tantos gastos quanto o que seria investido em um plano de manutenção regular.

Em um cenário tão competitivo, manter o compliance – ou seja, estar de acordo – com relação às inovações e tecnologias recentes é um desafio. Mas prezar pela empresa estar sempre atualizada às novidades é uma forma de mantê-la competitiva no mercado, sem risco de uma queda vertiginosa dos lucros. Concordemos: falhas podem acontecer em qualquer momento, mas máquina parada só traz prejuízos. Por isso, traçar um plano de manutenção e ter boas ferramentas à disposição é um diferencial. Veja abaixo 5 opções que podem ajudar a sua empresa.

Ciclo PDCA

Como falamos, antes de executar é preciso planejar. Essa ferramenta aqui vai permitir ao seu time organizar as ideias e dividir o trabalho em várias etapas para que tudo corra bem – e o resultado final seja alcançado. A sigla PDCA se refere ao conjunto de práticas necessárias para garantir um bom resultado: plan – planejar, do – fazer, check – verificar a execução, e act – reação de acordo com a avaliação do trabalho.

A abordagem começa no planejamento e passa por uma primeira fase de testes. Esses resultados são avaliados pela equipe para que, a partir daí, a solução seja definitivamente implementada na fase da ação.

5W2H

Pode apostar: a sigla causa mais confusão do que a metologia envolvida.

Essa ferramenta pode ajudar sua empresa a organizar as tarefas de manutenção em um checklist muito funcional! Basta seguir a sequência de raciocínio lógico que ela propõe. Veja abaixo quais as etapas fundamentais:

  • What? (O que?)
  • When (Quando?)
  • Who (Quem?)
  • Where (Onde?)
  • Why (Por quê?)
  • How (Como?)
  • How much (Quanto?)

Respondendo a essas perguntas, torna-se possível ter uma visão ampla a respeito do problema.

TPM

A sigla, em inglês, refere-se a Manutenção Produtiva Total. Trata-se de uma metodologia criada para modificar, progressivamente, as técnicas então adotadas pela empresa com o objetivo de aumentar o ciclo de produção dos equipamentos.

Entre outros benefícios, essa ferramenta permite uma rotina de manutenção autônoma, uma vez que os problemas aparecem simplificados, possibilitando que operadores de produção executem os reparos necessários.

MCC

A Manutenção Centrada na Confiabilidade nada mais é do que uma estratégia para otimizar um programa de manutenção já existente na empresa – mas que quando executado não funciona em sua plenitude. Com base em técnicas que levam em conta o aspecto econômico, as estratégias de manutenção são otimizadas para que a produtividade seja conservada.

De acordo com esse processo, a tendência é que cada ativo da empresa tenha um plano de manutenção específico.

Softwares de gestão de manutenção

Os softwares de gestão de manutenção – como CMMS e EAM – ajudam sua equipe a fazer a gestão dos ativos em tempo real. O objetivo é concentrar, em uma única plataforma, todas as informações relevantes para facilitar a comunicação interna, permitir um controle mais rigoroso das operações e ter um processo de tomada de decisão mais eficaz. Infraspeak, por exemplo, oferece uma solução especializada em gestão de manutenção que acompanha, em tempo real, o estágio e o andamento das tarefas de manutenção que estavam no escopo da operação previamente.

Além de acompanhar o andamento das tarefas, o software codifica os indicativos e cria relatórios em tempo real. Com poucos cliques é possível traçar todo o panorama da manutenção da sua empresa! Veja mais detalhes aqui e solicite uma demonstração gratuita.